Ud está aquí:
  1. Início
  2. Atividades
  3. Documentos para a História de Europa
  4. Germanías no Reino de Maiorca (1523)

Volver

Germanías no Reino de Maiorca (1523)

Signatura:ACA,CANCILLERÍA,Registros,NÚM.3904,f. 99r Pulse para ampliar

Um movimento social europeu na Idade Moderna

Ao longo do século XVI, ocorreu um fenómeno social comum a nível europeu: as revoltas populares. Estes movimentos de protesto em todo o continente mostram os desequilíbrios sociais que surgiram de uma profunda recessão económica provocada por múltiplas guerras e pelo aumento da pressão fiscal. Insurreições contra o regime nobre - guerra dos camponeses na Alemanha (1524-1525) - ou revoltas contra o poder das oligarquias urbanas, o descrédito das instituições e o crescente autoritarismo do Estado moderno - revolta de Gante (1539-1540) - são exemplos deste ciclo de rebeliões europeias, conhecido como a "epoca dos motins". Na monarquia espanhola, as primeiras dissidências modernas foram a revolta das ComunidadesNueva ventana de Castela (1520-1521) e as GermaníasNueva ventana de Aragão, Catalunha, Valência e Maiorca (1519-1523).

As Germanías na Coroa de Aragão

As Germanías foram um movimento dos artesãos iniciado na cidade de Valência que em 1519 obteve o reconhecimento e a autorização real para organizar-se e armar-se, e que tomou o poder do conselho municipal em 1520. A partir dessa altura, a já revolta agermânica ou Germanía, espalhou-se como uma mancha de óleo por todos os estados da Coroa de Aragão. Nas aldeias e cidades, foram criados conselhos locais com o objetivo de governar a população e suprimir os direitos e imposições municipais, do General e realeza. Mas o movimento foi desmantelado, uma vez que algumas das exigências dos artesãos em algumas cidades foram satisfeitas por meios legais ou por acordos. Outros locais foram duramente reprimidos. A partir de 1521, apenas foram registados incidentes isolados e sem consequências na Catalunha e em Aragão. Em Valência e Maiorca, as escaramuças bélicas continuaram após a queda de Valência, em 14 de Outubro de 1521, até à rendição de Maiorca, em 8 de Março de 1523.

As contas do vice-rei de Maiorca

Os ilhéus agermanados, no início moderados, protestaram contra o aumento da pressão fiscal e a concentração da propriedade nas mãos da oligarquia cidadã. Mas tornou-se imediatamente evidente que existia uma profunda fratura social que levou à rápida expansão de uma germanía muito beligerante por toda a ilha. O vice-rei Miguel de GurreaNueva ventana, tal como detalhado no documento que agora apresentamos, refugiou-se em Ibiza em 1521 com toda a sua família e bens. E a partir daí ele tentou organizar uma contra-ofensiva. O exército real, com o reforço das galés reais de Valência, libertou o Alcudia em outubro de 1522, que se tinha tornado o refúgio da pequena nobreza, e sitiou a cidade de Maiorca entre dezembro de 1522 e março de 1523. A repressão foi sangrenta. Desse momento é a ordem do Imperador CarlosNueva ventana, datada de 19 de abril de 1523, em Valladolid, na qual ordena o pagamento das despesas reclamadas pelo vice-rei, uma vez que foram feitas a título privado com o objetivo de «tentar reduzir as referidas pessoas à calma e descanso".

Testemunha particular dessas despesas será a conta de Janot Vidal (1522-1523) que detalha o financiamento da expedição naval “que fon feta axi per terra com per mar per reduhir la ciutat e ylla de Mallorcha a la obediència del senyor Rey, com leshores fos agermanada la maior part dels plebeus y pageses de dita ylla contra la obediència de Sa Magestat” (ACA, Real Patrimonio, Apéndice General, I/142). Outras fontes destacadas para o estudo das Germanías nos Arquivo da Coroa de Aragão são os registros contemporâneas da Cancellería Real (ACA, Real Cancillería, Registros, 3881 -Diversorum-, 3896-3897 -Corts-, e, singularmente, 3902 a 3906 - Maioricarum-).

ACA, Real Cancillería, Registro 3904, f. 98v-100v

Bibliografia PDF

Transcrição PDF

Ligação para o documento em PARES Nueva ventana

Subir

Esta web utiliza cookies propias para facilitar la navegación y cookies de terceros para obtener estadísticas de uso y satisfacción.

Puede obtener más información en el apartado "Cookies" de nuestro aviso legal.

AceptarRechazar